sábado, 15 de abril de 2017

Em entrevista, Phil Spencer fala sobre o futuro Pós Scorpio e mais !!

A divisão Xbox trabalha no Project Scorpio, mas no entanto a Microsoft não vai esperar pelo lançamento do novo console para pensar no que virá a seguir. Em entrevista ao site Gamasutra, Phil Spencer falou sobre a sua percepção da marca após o lançamento da Scorpio. Qual será o foco? Será que estamos caminhando a passos largos para o fim dos consoles como os conhecemos? "Eu acredito fortemente no formato de consoles. Não estou dizendo que um é melhor que o outro, mas no console, basta ligá-lo que ele está sempre pronto e ele é construído para esse propósito, que é jogar. Sim, as pessoas podem fazer outras coisas nele, mas ela é construído para isso. Eu acredito nisso".

http://cloud.attackofthefanboy.com/wp-content/uploads/2014/12/PhilSpencer01.jpg

"É verdade que os planos sobre o que irá acontecer depois do Scorpio já estão em andamento. Temos que pensar nisso dessa forma. O que será a próxima coisa? Continuamos comprometidos com os consoles. Achamos que isso é de uma importância fundamental. Mas é verdade que há uma mudança nessa geração. Isso vai parecer um pouco filosófico, mas durante as décadas em que estive envolvido, jogar era focado sobre o dispositivo acima de tudo. E depois em segundo lugar no jogador. Eu sou um jogador de console e de PC. E ainda assim prefiro na maioria das vezes jogar nos consoles."

"Mas o que estamos descobrindo agora, se pusermos o jogador no centro e dissermos tudo bem, o que eu quero? Eu quero estar conectado à minha experiência de jogo onde quer que eu vá. O que começamos a olhar é que nós somos a Microsoft, e temos essa posição no PC. Podemos fazer do Xbox uma experiência que se expanda, não só nos consoles, mas também no console para o PC e para os dispositivos móveis?"

Phil Spencer abordou também o tema das gerações de consoles. Será que vamos ter gerações cada vez mais curtas como alguns prevêem, talvez por razões econômicas, ou elas poderão se alongar? "Existem algumas coisas sobre como funciona o negócio de consoles, em que não se faz qualquer dinheiro com o hardware, mas sim com os jogos e com os serviços. Por isso se estivermos em uma situação onde estamos investindo no hardware, um rápido refrescamento do hardware vai te prejudicar. Porque obviamente qualquer investimento no hardware tem pouca influência, alguém vai comprar jogos, e irão assinar a Live, provavelmente irão assinar o Game Pass e outras coisas. E é dessa forma que se dirige um negócio de consoles".

"É possível que as gerações de consoles abrandem. Porque eu não quero comercializar um console que não tenha um verdadeiro propósito em relação àquilo que já existe no mercado. Com o lançamento dessa geração, acho que lutamos um pouco porque os jogos da geração anterior já eram muito bons. Por isso quando um jogo de início dessa geração foi lançado, se não estivesse na indústria, e olhasse para um jogo de final de geração da 360 não podia se dizer a mesma coisa que foi dito quando passamos do Xbox para o 360, onde a tela passou de 4:3 entrelaçado para os 720p HD. Isso foi óbvio."

Phil Spencer também revelou nessa entrevista que eles pensaram em um Xbox portátil. Phil Spencer falou sobre a evolução do Xbox e a direção que irá tomar no futuro. Ele aproveitou também para recordar alguns dos conceitos que acabaram por não ver a luz do dia. "Bem deixe-me te dizer a quantidade de vezes que projetamos um portátil do Xbox ou um tipo de dispositivo onde você pudesse se conectar para fazer stream a partir de um Xbox em casa ou jogar jogos com baixo poder... Estamos sempre pensando em diferentes cenários de onde até os consoles podem ir." 

Embora o Xbox tenha explorado essas ideias, Phil Spencer quis que ficasse claro que a sua prioridade são os consoles caseiros. "Acredito no poder de uma TV em casa. Sei que é algo em que estamos comprometidos a longo prazo." Dito isto, Phil Spencer sabe que há espaço para os jogos fora d TV, razão pela qual reconhece que a Nintendo fez um bom trabalho com o conceito do Nintendo Switch. "Acho que a Nintendo fez uma coisa maravilhosa ao escolher um dispositivo móvel. Eles disseram algo como 'Ok, o Switch vai ser um console que podemos levar conosco'. É uma ideia interessante. A Nintendo sempre faz coisas fantásticas. Ela fez a segunda tela com o Wii U, eles fizeram obviamente o Wii e os jogos por movimento na sala de estar. Eu adoro essa inovação".